A PRAGA ROGADA É DE QUE RELIGIÃO?

Eu sou o Bàbá Alexandre de Exu, sou Oba/Itefá e Oba Isale de Lesse Egun. E vou comentar uma postagem muito lega da Bernadete, uma mestra em Reiki O fato de rogar uma praga ou pedir o mal, nós fazemos contra as pessoas e achamos normal. E não notamos que estamos fazendo, mas depois queremos dizer que somos bonzinhos, quando verdade não somos e praticamos o mal.

99% dos pais de santo e mãe de santo pratica o mal e nem sabe. E não tem consciência que está fazendo mal. E as pessoas que pedem para fazer se acham inocentes, puras e de boa índole.

Quando vamos numa consulta de Umbanda ou numa mãe/pai de santo e fazemos pedidos simples, que são para o nosso bem. Ali estamos alterando e mexendo com as forças do destino. Pois ao pedir coisas simples que não damos conta é uma forma de praga, senão coisa pior.

Vamos ver o exemplo. A pessoa que vem pedir para conseguir um emprego, pois está difícil. Esse ato faz o mal de quem ia trabalhar por seus méritos e entra a pessoa que fez o trabalho ou pediu uma entidade. Um tipo de praga.

A pessoa vem pedir a pessoa que ela ama, mas essa pessoa já tem compromisso e família. Ao puxarmos e buscar a felicidade de uma pessoa destruímos de uma ou mais. É uma forma de praga. E tudo começa com uma simpatia, uma puxada ou mesmo uma amarração.

E quando se faz um trabalho para tirar uma pessoa do nosso caminho, nos preocupamos em saber como será feito para ela sair? Pois sabemos que ninguém entra na nossa vida atoa e nem entramos na de ninguém é porque temos coisas para acertar e progredir.

Para se jogar uma praga não é prece ter religião, pois quem é espiritualizado, independentemente do dogma religioso, não roga praga? Muitas vezes jogoa e nem percebe, uma mãe jogo nos filhos e não tem ideia do que fez. Pois desconhece muitas coisas e mesmo com o melhor coração aimos no desequilíbrio emocional.

Não se trata fazer de proposito mas muitas vezes desconhecemos a nosso força interior e acabamos fazendo mal até para quem amamos. Então é tomar cuidado.

Não é falta de caráter ou maldade no coração, que leva uma pessoa a praticar tal ato! Mas o desconhecimento das leis da vida, das leis do karma e darma, ação e reação. Ai sempre nos achamos vitimas da vida e recorremos para buscar o nosso bem e tirar de nós o que devemos passar para evoluirmos e nesse momento jogamos em outra pessoa.

A espiritualidade não é uma forma de capitalismo selvagem, mas o sacerdocio deve se manter. Como os 10% que se dá, mais nunca houve essa porcentagem antigamente. O dizimo tudo são meios de custear os sacerdotes que é uma pessoa que se preparaou para exercer a fé profissional, ou podemos dizer o trabalho sagrado.

Quando cobramos um valor ainda é a caridade,sem fé ,sem amor e sem caridade. Caridade não tem que ser de graça, a caridade é o ato da pessoa ter amor pelo que faz e respeitar o seu semelhante. Mais o semelhante tem que ver que o sacerdote gastou e gasta para estar ali e que precisa suprir suas necessidades basicas. A caridade não é dinheiro é o amor em movimento. O dinheiro é coisa do mundo que precisamos, como precisamos de beber, comer e respirar.

nunca galgaremos os degraus e evolução espiritual que tanto desejamos e precisamos! Se ter como custear ai fazemos uma troca, pelos serviços. A pessoa dá uma oferta em troca do que precisa. Nada mais justo e de direito. Já que paga a outros profissionais.

Cada profissional tem seu preço como tudo na vida, a pessoa deve procurar dentro de suas posses para poder arcar com os gastos. Se é necessários à prática dos orôs com ou sem preços exorbitantes,cada um deve buscar o que acha certo.

Ninguém usa a fé alheia para o bem estar pessoal. É uma troca de serviço. E se tem envergonhado a muitos e entristecido o mundo espiritual. Creio que a pessoa não deva buscar serviços espirituais que são pagos e bem pagos. Mas os que são de graça não surtem efeitos. Acabamos tendo de pagar.

O que infelizmente, muitos agem dessa forma, fazendo com quê o consulente ou até mesmo o médium, desacredite da religião! Se tal fato for verdade o médium ou consulente quer apenas usar a religião em proveito próprio. Eu Bàbá Alexandre de Exu a favor de se cobrar bem. E como Ocultista penso da mesma maneira.