A PSIQUE E A MENTE

Quando encarnamos trazemos ao mundo não o que éramos, mas o que somos. Aí entra a briga entre o que éramos e o que seremos. Pois o éramos é muito do que temos que consertar em nós. E o seremos é o que estamos construindo.

Mudar a nossa mente criminosa, vamos ter dificuldade de mudar. Pois temos duas grandes forças nos puxando para o erro. Os maus hábitos e os vícios. Ambas adquirimos ao longo de varias encarnações até nos darmos conta que que a grande luta é conosco. Do nosso lado do bem contra o nosso lado do mal.

Muito do que passamos é reflexo do que temos das encarnações que sufocamos nossa espirito e perispírito em vibrações pesadas e que nos mantem presos as épocas e tempo dos nossos erros. Ou seja, a encarnação.

Antes de voltarmos ao corpo físico, perante aos nossos orixás e ancestrais e ao grande orixá Oduduwa. Prometemos vencer nossas fraquezas que serão postos à prova. Para verem o nosso real proposito de estarmos em Olódùmarè.

Os vícios gravados na psique espiritual nossa passa para mente e dai fica gravada no corpo físico e em nossa áurea espiritual. Ai fica no vai e vem.

Antes de voltarmos no corpo, no plano espiritual nas diversas itulas ou abule emi, que estão espalhadas para abrigar os espíritos de acordo com sua evolução. No Itan de Oyá vemos claramente isso.
Praticamos e trabalhamos em nosso aprimoramento, mas quando mergulhamos no aràáyê, as coisas não são tão fáceis, pois esquecemos de muitas coisas e principalmente dos nossos compromissos espirituais.

Aí que entra a misericórdia divina em nosso favor, os iruns Olofi e as egbés orun. O que seriam nós sem eles e os oráculos que são a voz de Exu, Orunmilá e Oxumare. Mas nossa mente e nossa psique ainda presas a carne muitas vezes subjugam a vontade do espirito. Nos levando aos erros das vidas passadas e pior ainda. Nos faz contrair nossos erros. Dai a necessidade de ouvirmos as palavras dos orixás que são os enviados de Olorun. Olorun Modupe bàbámi.