ILÚ ASÉ ELEEGBARA TOLÁ

Agregar e unir sempre essa é a palavra de ordem no Asé Eleegbara Tolá. Mas essa união tem que ser completa até mesmo pelo que diz o odu iworingunda.

Eu Alexandre de Exu, Babalorixá Ògóbenga, Oba/Itefá de Ifá, junto com a Iya Agbonã Omidegi, Leila de Iemanjá, Apetebi/Iyanifá de Ifá. Lutamos muito para aprendermos e transmitir e implantar um axé sem os preconceito e influência de religiões cristã.

Mas onde podemos ver e agir pelos ciclos da lua e a rotação do sol, como se fazia. É uma luta grande em buscar o saber. Muitos foram chamados, mais poucos foram escolhidos para receber o imo que é o conhecimento.

Isese Lagbá, significa toda a espiritualidade de uma pessoa ou do grupo. e também outros que vamos acumulando no decorrer do nosso desenvolvimento espiritual.

O culto de orixás, culto de Ifá, culto de Egungun, culto de Egbé Orun, culto de Lesse-Egun. Que é a parte espiritual, tudo isso está nestas duas palavras Isese Lagbá. Então quando pensar na sua espiritualidade esta pensado em Isese Lagbá. Quando falar que vai um templo de Axé cuidar da sua espiritualidade, você está indo cuida da sua Isese Lagbá. A espiritualidade, que chamamos de Isese Lagbá responde em nossas vidas e não vai ter ninguém que tire isso de nós.

No Eleegbara Tolá cultuamos Orí, além de oytris orixás fazemos o culto da lua e do sol.

Na época do tráfico de escravos no atlântico junto para as Américas vieram a religiosidade que influenciou ou deu origem a outras formas de espiritualidade baseadas na África mãe. A Regra de Ochá,a Santeria, Voodoo, Pallou e o Candomblé.

Se adaptaram aqui e os espíritos também, que na falta disso se oferecia aquilo. E assim se formou outras crenças religiosas das culturas que existiam na África.

Entre elas a cultura yorubas, que tem uma forte relação entre os mundos sobrenatural o Orun e o natural o Aye a terra, que se complementam.

É uma religião onde o Ser Supremo é Olódùmarè também chamado de Olofi.