Alexandre de Exu


Começando no Candomblé

*TUDO QUE VOCÊ QUERIA PERGUNTAR A SUA MÃE DE SANTO, E ELA NUNCA ESTAVA COM PACIÊNCIA DE TE EXPLICAR*

 

 

Símbolo DO PODER DO PAI 

DE SANTO


O primeiro passo nessa religião é geralmente através de um jogo, que pode ser de Búzios feito por uma Babalorixá ou opelê feito por um babalawô.
Se começa como abian, depois sim iniciado e ebomi.
Ambos tem a mesma eficácia pois visam o saber o caminho que a pessoa tem ou deve seguir na religião de base Africana. Se tem caminho para ser iniciada e dali seguir, pois pode não ter. hoje em muitos casos se inicia a pessoa que nem sabe o porque foi.
Ai vemos se a pessoa precisa cuidar em alguma coisa específica, que pode ser;

LESSE-EGUN, Ancestrais. Todos os tipos
GUELEDES, Yiamins.
CANDOMBLÉ, Exu-Bara
IFÁ, Orunmilá

 

Mais antes de tudo é bom ver se a pessoa possui alguma situação de Umbanda ou Magia, para que não venha ter problemas sérios. No meu terreiro eu costumo fazer o batismo de Umbanda e dar um presente a coroa da pessoa. E ao povo de rua. Mais cada um tem sua forma de fazer.

Após ter consultado a fala dos deuses africanos, e comum se fazer uma limpeza espiritual na pessoa, que muitas vezes é se pegar carga no dia a dia. Feita uma limpeza que pode ser também para ajudar a resolver problemas de; saúde, amor, emprego, caminhos fechados, vícios ou espiritual.

Após essa fase, pode se fazer mais alguns procedimentos como; Obi d água, Oxebile ou Bori. Esses visam fortalecer a pessoa espiritualmente. É aconselhável se fazer um por ano. Com uma limpeza. Ajuda muito a não termos problemas.

O Obi e o Oxebile, são procedimentos simples, que levam apenas algumas horas.

O Bori já é um procedimento mais complexo, que pode envolver acomodar (assentar) santo posteriormente ao Bori. E se faz alguns fios de conta, conforme a orientação da casa. Toda pessoa feita de santo, deve ou tem que fazer um bori uma vez por ano. Se for Mãe de santo ou Pai de santo duas vezes e dar de comer ao seu santo uma vez por ano, sem falta. (muitos não fazem).

 

O BRANCO

Quando uma pessoa começa a frequentar o candomblé, com intenção de aprender e ser iniciada. Pedimos para que use o branco, que é a cor da morte. Mostrando que ela está morrendo, para nascer numa nova vida. Dai o iniciado ter a primeira saída de branco. Onde mostra a morte simbólica dele. Já na segunda saída ele vem de cor, mostrando que nasceu. As cores, são vida. Já na segunda saída o seu santo o toma, mostrando que ele nasceu para um nova vida e que nessa vida sempre estarão juntos. Serão um só. Ai na terceira saída vem o santo na sua roupa de gala. Mostrando que o filho está bem e amparado.

O não iniciado na casa de santo deveria usar o branco, apenas depois de iniciado. Deveria usar o creme ou bege. Usar o branco, que alega uma alusão a Oxalá é chamar a morte, para perto de si.

Oxalá é a morte, Exu é a vida. Dai sempre haver a disputa entre eles. As cores do Orixá chamado baba- Ori, ou traduzindo o PAI DA CABEÇA é creme/bege. Algodão crú.

O não iniciado deve aprender à louvar e cuidar de sua cabeça, antes do seu santo. O que ninguém ensina.

Porque não dar dinheiro.

 


CONTA LAVADA

Nesse caso a pessoa passa a ser filho de conta lavada, algumas casas não aceitam, pois diz que filho tem que raspar. Mais se o santo não pede. Vamos raspar por nossa conta contra a vontade do santo?

Entende se como filho de santo uma pessoa que esta sobre a orientação espiritual de um sacerdote, que poderá ser iniciado ou não.

Bem se resolvendo fazer um BORI, vamos ver, se esse bori visa apenas fortalecimento da pessoa.

Ou se é para começar preparar para uma iniciação. A pessoa com o bori começa a participar e conhecer a roça de santo. Para tomar a decisão de quer ser iniciada ou não. Pois pode desistir sem grandes consequências.

A pessoa pode providenciar os ibas dos seus santos, o certo é dois, primeiro e segundo santo. Nunca mais de dois. Se precisar de alguma coisa usa-se os da casa.
É errado borido ou Iaô com mais de dois santos, em vez de ajudar, atrapalha. Ele não tem energia para todos eles ele está começando. Mais a vaidades das vaidades, se coloca uma pilha de santo.

Se coloca os santos acomodados no Iba, pode até dar oferenda de sangue, mais bichos pequenos.

A pessoa se desejar começa a lista de iniciação, que terá algum tempo. Começará a conhecer e cuidar de

Exu-Bara
Egungun
Orixá
Ifá
Gueledés/Oshô


Lembro que santo não é riqueza, os valores que se cobram assustam as pessoas da religião. Tenha o habito de jogar sempre, ouça o que os santos te dizem, os conselhos deles. Nos momentos de alegria ou de dor. Eles estão com você.

BABA -ORI

Podemos em alguns casos apenas arrumar para a pessoa cultuar esse santo. Sendo que muitos não sabem fazer as coisas deste santo. Tão simples e tão poderoso.


Oferenda à Bàbá-Ori, cebolas, vela e água

 

baba-Ori de sacerdote.

Yemanjá, sempre junto.

 

UMBANDA E CANDOMBLÉ
O fato da pessoa ser da Umbanda e entrar no Candomblé não quer dizer que tenha que deixar a Umbanda ou que as entidades não vem mais. São duas religiões distintas e não interferem uma na outra. Mais deve-se se respeitar um resguardo sempre de uma para outra. Para obrigações. Agora tem mães de santo que gostam por elas mesmo prender a entidades de Umbanda. Para a pessoa não ter liberdade.


BENÇÃO
Sempre peça a bença aos mais velhos e troque com os demais, é importante esse ato no candomblé. Onde circula a energia chamada IRÊ, que é tudo bom. E tira o OSOGBO, que é tudo de ruim. Um ato tão bobo e inocente mais que tem significado profundo. Mesmo entre irmãos de santo. Para quem ta chegando observe que os mais antigos na religião estão toda hora trocando ou tomando abença.

POSTAR NO CHÃO
Esse ato, de adobar ou dar dobale, do iká. Se faz isso apenas para a mãe de santo ou pai de santo na ordem hierárquica decrescente. Ou seja bisavô, avô e mãe de santo. O santo faz o mesmo. Abian também pode fazer e deveria. Mais se ele faz ele é filho o ori dele esta no chão.


Egungun, orixá e odu
São os três pontos que devemos sempre cuidar e que muitas vezes são deixados de lado. O primeiro ponto é Egungun, ou seja nosso ancestral. Nunca devemos fazer nada sem antes dar uma satisfação a eles. Depois vem o nosso santo e em seguida o nosso ODU. Que é a palavra africana para karma.
Odu temos três que nos regem, sempre e que ficam negativo muitas vezes pelo contato com pessoas carregadas, coisas que não podemos evitar. Pois é na condução ou no dia a dia. São eles odu de vida, odu de nascimento e odu de caminho.


EXU-BARA OU ORIXÁ

Não importa o nosso santo, todos temos que prestar reverencia ao ORIXÁ EXU, podemos dizer que o candomblé é de Exu. Ai começa os problemas pois muitas mães de santo, não sabem lidar com Exu-Bara, ai fazem a confusão que vão dar oferenda ao povo de rua de Umbanda no lugar deste santo, o que inquizila mais Exu. Ai começa as cobranças e tudo dar errado na vida da pessoa.
Feito ou não feito de santo, no candomblé. Iniciado ou não em Ifá, praticante do culto de Egun ou de Gueledes, não importa Exu é o primeiro a ser saudado em qualquer situação. Até nos inicio dos ritos fúnebre nada sem faz sem Exu.

Veja mais assuntos...